Levedura para produção de etanol em condições de estresse

>Descrição

Levedura para produção de etanol em condições de estresse

 

“Maior produtividade de álcool, tempo de processamento reduzido e maior resistência a contaminações”

 

Descrição: A tecnologia compreende uma levedura geneticamente modificada para produção de etanol em condições de estresse. A utilização da levedura otimiza o processo de fermentação, sem a necessidade de suplementação nutricional. A tecnologia apresenta ótimo desempenho na produção de álcool combustível.

 

Problema: O processo de fermentação para obtenção de álcool pode ser prejudicado por elevação da temperatura, alta concentração de etanol e falta de suplementação nutricional adequada. Ainda, leveduras selvagens podem contaminar e prejudicar o processo, ou até parar uma linha de produção.

 

Solução Proposta: A tecnologia compreende uma levedura que, em comparação direta com leveduras comerciais utilizadas em usinas de álcool combustível, apresenta maior resistência frente a altas temperaturas, maior viabilidade durante ciclos sucessivos de produção e maior chance de competir com leveduras selvagens e contaminantes bacterianos; tudo isso sem necessidade de suplementação nutricional.

 

Benefícios:

- Maior produtividade de etanol;

- Tempo de produção reduzido à metade;

- Maior resistência a contaminações;

- Maior viabilidade celular durante ciclos sucessivos de produção;

- Não necessita de suplementação nutricional.

 

Potencial de Mercado: Leveduras que realizam fermentação alcoólica são utilizadas nas indústrias de produção de etanol combustível, produção de pães, produção de cachaça, preparo de ração animal (levedura seca inativa), como agentes probióticos (regulação da flora intestinal de animais) e produção de xarope invertido, licores e cremes. O mercado de etanol combustível é o principal foco da tecnologia: na safra 2008/2009, o Brasil processou 569 milhões de toneladas de cana-de-açúcar e produziu mais de 26 milhões de m³ de etanol. O mercado internacional apresentou aumento significativo na produção global de etanol, de aproximadamente 28 milhões de m3 em 2000, para 96,8 milhões de m3 em 2010, sendo aproximadamente 75,0% do total utilizado como combustível. Mundialmente, ainda é considerado um mercado em estágio inicial de desenvolvimento, o que permite maior flexibilidade na inovação e adesão de novas tecnologias. (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA; Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis - ANP; União da Indústria de Cana-de-Açúcar - UNICA; Federação de Agricultura e Pecuária de Goiás FAEG).

http://unesp.technologypublisher.com/files/sites/nit-191-08---levedura-para-produção-de-etanol-em-condições-de-estresse.pdf

http://unesp.technologypublisher.com/files/sites/nit-191-08---yeast-for-ethanol-production-under-stress-conditions.pdf

Informação da Patente:
Categoria(s):
Alimentos
Energia
Informações, Contactar:
Agência UNESP de Inovação
Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - Unesp
auin@unesp.br
Inventores:
Cecília Laluce
Elson Longo da Silva
Maria Lúcia G. da Costa Araújo
Reinaldo Marchetto
Maristela Freitas Sanches Perez
Karen Fernanda de Oliveira
Crisla Serra Souza
Fernando Delfino
Palavra-chave:
Biotecnologia
Energia
Engenharia Química
Microbiologia
Química