Peptídeos para uso no tratamento da micose sistêmica

>Descrição

A presente tecnologia refere-se a peptídeos antiadesão de Paracoccidioides spp. e uso dos mesmos na terapia profilática da micose sistêmica paracoccidioidomicose ou em sua associação com drogas antifúngicas para melhorar a seletividade destas drogas ao alvo.

 

>Problema

A América Latina é uma das regiões mais afetadas pela micose sistêmica no mundo, sendo o Brasil, o país        com o maior número de áreas endêmicas para essa doença. Ela atinge principalmente trabalhadores rurais do sexo masculino, uma vez que o trabalho com solo e plantações nessas áreas é um fator ocupacional predisponente para a aquisição da doença. Dentre os principais sintomas está o desenvolvimento de uma infecção assintomática, com lesões nos pulmões e linfonodos, podendo ainda ocorrer disseminação para outros órgãos e tecidos. A presente tecnologia, utilizando a técnica de Phage Display, identificou quatro peptídeos capazes de inibir a adesão de Paracoccidioides spp. impedindo assim a infecção por esse fungo e a redução de casos de micose sistêmica.

 

>Benefícios

Atualmente o tratamento da micose sistêmica é de longa duração e realizado pela associação de drogas. A presente tecnologia é capaz de impedir a interação entre Paracoccidioides-hospedeiro, evitando a infecção e contração da doença, além de futuramente poder ser utilizada como uma vacina e na associação com drogas antifúngicas já conhecidas para o tratamento dos enfermos.

 

>PDF
http://unesp.technologypublisher.com/files/sites/14auin038---peptideos-pb-micose.pdf

Informação da Patente:
Categoria(s):
Saúde Humana
Informações, Contactar:
Agência UNESP de Inovação
Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - Unesp
auin@unesp.br
Inventores:
Ricardo José Giordano
Maria José Soares Mendes Giannini
Ana Marisa Fusco Almeida
Haroldo Cesar de Oliveira
Jussara Michaloski
Palavra-chave:
Biotecnologia
Saúde Humana