Fibra de coco verde como suporte sólido para enzimas

>Descrição

Esta nova tecnologia trata-se de um suporte sólido para imobilização de enzimas produzido a partir da fibra de coco verde, a qual apresenta baixo valor de obtenção e aplicação. Após submetidas a um processo de ativação, as fibras podem ser utilizadas como suporte sólido na imobilização de diversas classes de enzimas, apresentando grande potencial para utilização na clarificação de bebidas e em diversos processos industriais dos setores alimentício, farmacêutico entre outros.

>Problema
As enzimas imobilizadas são pouco utilizadas devido a problemas como a percentagem de enzima que permanece ativa após o processo de imobilização, sua meia vida operacional e seu alto custo de obtenção e aplicação. A procura por materiais suporte eficientes e de baixo custo é um ponto importante para viabilizar a aplicação industrial de enzimas imobilizadas. Diante disso, essa nova tecnologia associa a fibra de coco verde, um potencial poluente e de baixo valor agregado, para produção de um suporte sólido eficiente e com alto valor agregado.

>Benefícios
As enzimas imobilizadas em fibra de coco verde apresentam aumento de sua estabilidade térmica, dificultando a alteração de sua estrutura e propiciando seu uso como biocatalizador em determinados processos industriais. Apresentam-se também com um excelente fator de reuso e alta resistência mecânica, acarretando assim em uma economia significativa no custo global do processo.

>PDF
http://unesp.technologypublisher.com/files/sites/15auin021---fibra-de-coco-verde-como-suporte-sólido-para-enzimas.pdf

Informação da Patente:
Categoria(s):
Alimentos
Informações, Contactar:
Agência UNESP de Inovação
Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - Unesp
auin@unesp.br
Inventores:
Thaís Milena de Souza Bezerra
Juliana Cristina Bassan
Rubens Monti
Palavra-chave:
Biodiversidade e Recursos Naturais
Biotecnologia
Engenharia Química
Química